A profecia de Maomé sobre a vitória romana

Excerto que constitui a primeira parte do artigo Muhammad’s Prophecy of Romans Victory de Ali Sina.

Tradução e adaptação: Khadija Kafir.

Leitor anônimo escreve para Ali Sina:

“Em primeiro lugar obrigado por responder a minha amiga Asra. Ela está muito impressionada com seu vasto conhecimento, mas ela ainda tem mais dúvidas que espero sejam esclarecidas. Ela quer saber como é possível que no Alcorão no capítulo “os Bizantinos” (nº30)  aquele homem (Maomé) tenha previsto que os romanos tinham sido derrotados, mas que em breve sairiam vitoriosos?

Alcorão 30: 2-3: “Os bizantinos foram derrotados numa terra próxima. Depois de sua derrota, porém, vencerão”.

Ali Sina responde:

O Alcorão que temos hoje foi compilado durante o califado de Uthman ibn Affan. Ele começou seu califado em 644 da Era Cristã. Naquela época as duas guerras entre os persas e romanos já tinham acabado e em cada caso os vitoriosos já eram conhecidos. Quais são as chances de que os versos 2, 3 e 4 da surata 30 terem sido alterados porque os originais pronunciados por Maomé estavam errados?

Claro que se Maomé tivesse dito algo errado, Uthman não teria permitido que fosse publicado, pois teria mostrado Maomé como falso profeta. Tais versos teriam sido ajustados para refletir o que realmente tinha acontecido.

Uthman ordenou que todas as outras versões que não combinavam com a dele fossem destruídas. Por quê? Porque contradiziam o que ele ajuntou. Como resultado, a evidência está perdida. Não podemos provar se Maomé estava errado, e os muçulmanos também não podem dizer que é uma profecia. É ilógico que os compiladores tivessem mantido os versos originais quando a história já tinha provado que Maomé era um falso profeta.

Tais versos não provam nada porque sua autenticidade é duvidosa. Todavia, há muitos outros versos no Alcorão que já foram provados estarem incorretos. Consequentemente, os estudiosos islâmicos tentam reinterpretá-los, alterando seu significado. Se há um só erro no Alcorão, ele não pode ser a palavra de Deus. E há milhares de erros naquele livro.

__________________________________________________________________

Sobre o autor: Ali Sina é o pseudônimo de um ex-muçulmano nascido no Irã, que atualmente mora no Canadá. É um dos críticos mais respeitáveis da religião islâmica e também um dos mais ferrenhos. Fundador do fórum FAITH FREEDOM INTERNATIONAL (http://www.faithfreedom.org), que ajuda ex-muçulmanos em todo o mundo, ALI SINA também é autor de várias obras, entre elas Understanding Muhammad (Para entender Maomé), com tradução em progresso.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: